Morte e Vida: dois lados da mesma moeda?

Morte – o outro lado da Vida

Jesus nos ensina que Deus é Deus dos vivos. E para deixarmos os mortos enterrarem seus mortos…
Para Jesus Cristo, estar morto é não estar desperto para a realidade milagrosa da Vida. E enquanto não tivermos “olhos de ver”, estamos como cegos, ou ainda, mortos.

Na filosofia chinesa, o TAI YIN equivale à morte, à ausência de movimento. Corresponde ao abismo, às profundezas do mar, à meia-noite. É o momento em que o Sol, a Luz que traz vida para nosso planeta está em seu ponto mais distante em relação ao hemisfério que nos encontramos.
Porém, o TAI YIN contém em si o germe da Vida. A morte é apenas aparente.

Assim como o Sol representa a energia que traz a Vida física, sua luz também representa a clareza da mente que vê além das aparências e que possui olhos físicos e também espirituais.

Sem Luz, como enxergar?
Então, para termos Vida, precisamos ter Luz.
Luz que traz o discernimento, a segurança, a paz.

Quanto mais luz você adquirir com seus pensamentos e ações em sua vida no corpo que seu espírito habita, mais Vida você terá. Luz é Vida.

Esse, já não teme a morte, porque sabe que ela sequer existe. É uma ilusão produzida pelo tempo. Ora, a eternidade (o tempo sempre presente) anula o tempo.

Então, nem o tempo tem existência real, isto é, não sobrevive além de sua própria dimensão.
É mais uma ilusão.
Não é imortal, como o espírito que adquiriu luz interior.
E por isso, vive além do tempo. Além da morte do corpo.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *