Mulher & Homem em Equilíbrio

Minha homenagem à força e à suavidade da Mulher.
Possuir Força sem perder a Feminilidade: esse é o grande desafio da Mulher nos dias de hoje.
O mundo só conhecerá a paz quando houver equilíbrio e respeito às diferenças.

Yin e Yang: forças opostas e iguais geram a vida benéfica.
A mulher é yin. É terra, é receptividade. Seu poder se manifesta de uma forma diferente do yang: ela emana o poder da luz suave e misteriosa da lua.

Mulher o lado YIN do Equilíbrio Social
Yin e Yang: forças opostas e iguais geram a vida benéfica

A mulher é yin. É terra, é receptividade. Seu poder se manifesta de uma forma diferente do yang: ela emana o poder da luz suave e misteriosa da lua.
Ser mulher é deixar esse poder da natureza emergir de dentro de nós de uma forma que poucas mulheres já acessaram. O yang só reverencia o yin quando este está pleno de sua força. Sem modelos inspiradores, vamos tateando o caminho para o encontro de nossa verdadeira e íntima natureza. Nosso prazer repousa, como a luz suave da lua, aí. O yang anseia por essa nutrição, mesmo sem saber. É como se intuíssemos, em nosso ser mais profundo, o tesouro que se esconde em uma relação homem/mulher plena, onde somos diferentes, complementares. E somos felizes por sentir e nos enriquecermos com as diferenças.

Observação:
A intenção deste vídeo não é instigar a polêmica, justamente o contrário.

Meu trabalho é procurar trazer paz. Paz é fruto de equilíbrio. De justiça. De respeito às diferenças.

Base para que o amor possa se manifestar.

Entendo Amor como a energia mais benéfica que existe.

Reverencio toda a luta que nós, mulheres, tivemos para chegar até aqui. Me incluo entre elas, nasci em 1954, quando o caminho ainda era incipiente para essa igualdade.

Essa igualdade que conquistamos é um momento importantíssimo porque sem isso o equilíbrio social não será possível, e a paz social, apenas uma quimera.

Quero evidenciar que a mulher já é dona, se  quiser, se tiver consciência deles, de usufruir de seus direitos.

A luta legítima pelos direitos é uma coisa. Ódio é outra. E não entro no mérito das situações onde a ignorância ainda impera, que é caso de polícia, já que nossos direitos estão assegurados pela Declaração dos Direitos Humanos.

Ainda uma utopia, sem dúvida.

Mas sem o amor e a colaboração, a convivência humana vira confronto.

E sem reconhecermos dentro de nós essa paz, pouco faremos em direção a um mundo mais fraterno. Que ainda que seja um sonho, é o sonho que quero ver realidade em um futuro ainda que distante.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.