Carta que São Francisco escreveu a Santa Clara pouco antes de sua morte

Para meditar, com calma, em pequenas doses, de quando em quando, quando tiver tempo para pensar, além de avaliar tudo isso:

«À alma que sabe ler a minha, e que compreende as suas alegrias e tristezas, quero confiar estas palavras: na madrugada da minha partida, no crepúsculo do caminho que escolhi, posso finalmente afirmar, completamente na paz, que a nossa ferida (ilusão), neste mundo, não está na riqueza nem na pobreza, mas na nossa dependência de uma desses dois caminhos, em imaginar que um ou outro pode nos oferecer alegria e liberdade.

Também reside no fato de estarmos convencidos de que o Senhor Altíssimo precisa dos sofrimentos dos nossos sofrimentos, criaturas, para nos abrir a porta de sua luz. Finalmente, nossa ferida (ilusão) é a crença de que Ele precisa se sacrificar na forma de Seu Filho, ou na forma humana para nos salvar.

Quem mais, exceto nós mesmos, por meio da pureza do coração, poderá nos salvar?

Na verdade, o Bom Deus me mostrou que não havia resgate, nenhum sacrifício para perpetuar.

Ele me ensinou, em silêncio, que bastava sair da ignorância, do esquecimento e Amar. Amar a vida em todas as formas e com todos os meios que a tornam bela, amar sua Unidade em tudo e em cada ser.

Que tudo isso seja dito, algum dia, tanto para mulheres quanto para homens; que possa ser dito e ensinado melhor do que eu fui capaz de fazer, sem rejeitar nada da Água ou do Fogo.*

Meu desejo é que não haja mais igrejas, padres, monges, nada disso tudo: que só haja o Altíssimo e nós, porque cabe a cada um encontrá-lo em si mesmo.

Agora que o véu está rasgado, quero ir nu como vim ao mundo. E não estou falando do nascimento do meu corpo, mas do verdadeiro nascimento da minha alma, do dia em que ela encontrou a coragem de ir mais fundo na carne para se oferecer ao Eterno, tanto Acima (Céu) como Abaixo (Terra) “

Francisco

Água e Fogo: harmonização de contrários,
Batismo da Água (Pureza e Humildade) e do Fogo (Sabedoria e Coragem).

Como um vaso de barro, o homem precisa primeiro ser purificado pela água; em seguida, fortalecido e aperfeiçoado pelo fogo espiritual (Deus, com efeito, é um fogo devorador). Precisamos, portanto, do Espírito Santo para nossa perfeição e renovação, pois, o fogo espiritual sabe também regar e a água batismal é também capaz de queimar como o fogo (Dídimo de Alexandria).

Texto original em italiano:
Lettera che S. Francesco scrisse a S. Chiara poco prima di morire. Da meditare, con calma, a pillole , ogni tanto, quando si ha tempo di pensare, altro che vaccino tutto questo:

“All’anima che sa leggere nella mia, e che ne comprende le gioie e i dolori, voglio confidare queste parole: all’alba della mia dipartita, al crepuscolo del sentiero che ho scelto, posso finalmente affermare, completamente in pace, che la nostra ferita, in questo mondo, non sta né nella ricchezza né nella povertà, ma nella nostra dipendenza da uno di questi due strati, nel fatto di immaginare che l’uno o l’altro possano offrirci gioia e libertà.

Sta anche nel fatto di essere convinti che l’Altissimo Signore abbia bisogno delle sofferenze di noi creature, per aprirci la porta della sua luce. La nostra ferita, infine, è il convincimento che Egli abbia bisogno di sacrificarSi sotto forma di suo Figlio, o sotto forma umana al fine di salvarci.

Chi mai, tranne noi stessi, per mezzo della purezza del cuore, potrà salvarci?

In verità il Buon Signore mi ha mostrato che non vi era alcun riscatto, alcun sacrificio da perpetuare.

Mi ha insegnato, in silenzio, che sarebbe bastato uscire dall’ignoranza, dall’ oblio, e amare. Amare la vita in ogni forma, e con tutti i mezzi che la rendono bella, amare la sua Unità in ogni cosa e in ogni essere.

Possa tutto questo venir detto, un giorno, tanto alle donne come agli uomini; possa venir detto e insegnato meglio di quanto io abbia saputo fare, senza nulla respingere dell’Acqua né del Fuoco.

Il mio augurio è che non ci siano più né Chiese, né preti, né monaci, niente di tutto questo: che vi sia soltanto l’Altissimo e noi, perché sta ad ognuno incontrarlo in se stesso.

Ora che il velo si squarcia, voglio andarmene nudo come sono venuto al mondo. E non parlo della nascita del mio corpo, ma della vera nascita della mia anima, del giorno in cui ha trovato il coraggio di scendere più a fondo nella carne per offrirsi all’ Eterno, così in Alto come in Basso.”

Francesco

Fonte: https://camminanelsole.com/lettera-di-san-francesco-scritta-a-santa-chiara-prima-di-morire-bellissima/

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *