O Céu é estar no AMOR

Sobre todas as coisas paira um espírito muito acima de nossa compreensão e que nos trouxe toda a luz que precisamos para furar a névoa que encobre nosso mundo e enxergar além, com a visão de águia.

Ao nos dizer que o amor de uns pelos outros é a única coisa necessária acima de todas as considerações humanas, Cristo nos ensinou a confiar no poder superior e nos abriu as portas da próxima dimensão.

A riqueza da Criação é evidente. Somos ¾ de água e várias formas da água nos mostram todas as nossas possibilidades de sentir: a vida borbulhante de uma cachoeira, corredeiras nos meios de pedras, mares e oceanos, lagos, regatos, chuvas torrenciais e chuvas finas como véus, orvalhos da manhã, pântanos…

A escolha é nossa. Dependendo de nossas escolhas nossa transformação vai ocorrendo aos poucos, como nos ensina a natureza e seus ciclos e tempos. E um dia estamos prontos para voar como Águias.

O tema é difícil. Buscar as ligações entre tudo que acontece e aconteceu debaixo do Sol nestes últimos milênios sem esquecer que nosso instrumento de percepção, nosso corpo, tem suas limitações. O que o espírito pode intuir muitas vezes o corpo pode apenas aceitar, humildemente.

Não tenho a pretensão de formular hipóteses sobre coisas ainda escondidas como o começo de todo esse processo maravilhoso que se chama Vida.

Quero apenas deixar como um legado todas as maravilhas que o Deus de meu coração, o Amor, faz por cada um que se aproxima de Seu coração e sente o seu infindável Amor.
Entrar nesse mundo é um prêmio. Minha alegria e surpresa foi perceber que não precisamos morrer fisicamente: o céu é uma vibração disponível para nós já aqui na Terra. O Céu é estar no AMOR.

A Sabedoria foi justificada por todos os seus filhos

Amar nos ensina a respeitar as diferenças entre nós, porque compreende a diversidade dentro da unidade, o Uni-verso. Essa é única forma de nos sentir ligados à Vida. Percebo uma grande necessidade de nossa época em unir tantos conceitos e tantas variedades de visões. Encontrar o cerne, o eixo de nossa evolução humana aprendendo a ver com os olhos de nosso espírito, que é atemporal. Esse é o fruto da maturidade espiritual. O ser humano que atinge esse estado vê além das aparências. E vive em paz em seu interior.

Depois do encontro dessa verdade última, sei que será mais fácil encontrar nosso caminho como irmãos que habitam o mesmo planeta e que partilham da mesma história.

Aprender a aceitar nossa história pessoal e coletiva sem tantos julgamentos, apenas procurando não repetir os mesmos erros…

Fazemos parte de um Todo Maior.
Nosso planeta gira suavemente pelo Espaço, completando a cada 4 estações o ciclo de um ano.
O movimento é uma espiral, e a cada ano ele ocupa um novo ponto no espaço sideral.
Sempre um novo começo.
Assim também a vida humana: cada vez que nos abrimos a uma nova ideia, alargamos nossos horizontes e compreendemos um pouco mais do Mistério que nos envolve: a Vida em todo seu esplendor.

O momento é de interligação: alinhavar todos os conhecimentos divididos em tantas áreas e encontrar o cerne, o eixo que os une. Esse é o movimento que nos levará à unidade na diversidade.
À compreensão de que somos todos Um, ocupando nosso lugar na orquestra da Vida, regida pelo Criador.

Nos novos tempos, só existe uma família possível: a das pessoas que colocaram no Amor sua meta de vida.
Ela é vibracional e une por laços invisíveis os corações fortes, ternos e sábios.
São as mentes que formam o “UM”.
Essa é a separação que lentamente está transformando o planeta Terra.
Porque o Amor que nutre nossa alma é a única religião possível.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *